Núcleo de Curadoria

O Núcleo de Curadoria do MARGS é responsável pelo planejamento, organização e coordenação das etapas que envolvem as exposições apresentadas no Museu, sejam de projetos do seu acervo sejam de outras instituições, coleções, artistas e curadores. Também coordena as vistorias e a manutenção dos espaços expositivos.

Além de assessorar a Direção nos projetos curatoriais do Museu, também atende a artistas, curadores, montadores, iluminadores e demais profissionais no acompanhamento do processo de realização das exposições.

O trabalho envolve contato com profissionais especializados quanto a recebimento de obras, expografia, iluminação, montagem e desmontagem, bem como a supervisão permanente das galerias durante as exposições, de modo a garantir a segurança e o bom estado de conservação das obras e dos espaços expositivos.

Equipe:

Fernanda Medeiros – Coordenadora do Núcleo de Curadoria. Curadora-assistente e coordenadora de operação do MARGS. Graduada em História (PUC-RS), cursando graduação em História da Arte e especialização lato sensu em Práticas Curatoriais (UFRGS)

José Eckert – Servidor. Graduado (UNISC) e mestre em História (Unisinos) e graduando em História da Arte (UFRGS)

Sandra Vinhales – Servidora

Contato:

(51) 3227-2012

curadoria@margs.rs.gov.br

ESPAÇOS EXPOSITIVOS DO MARGS

 

1º PISO:

– Pinacotecas

– Sala Aldo Locatelli

– Salas Negras

2º PISO:

– Galeria Iberê Camargo

– Sala Oscar Boeira

– Galeria João Fahrion

– Sala Angelo Guido

– Sala Pedro Weingärtner

 

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) é uma instituição museológica pública, do Estado do RS, voltada à história da arte e à memória artística, assim como às manifestações, linguagens, investigações e produção contemporânea em artes visuais.

Conforme a definição de sua natureza, objetivo e funções estabelecidos nos termos de seu Plano Museológico, o MARGS tem como principal finalidade colecionar, catalogar, documentar, guardar, conservar, restaurar, pesquisar e exibir os seus acervos artístico e documental.

A Política de Exposições do MARGS (clique aqui) baseia-se em sua missão, objetivos e missão institucional, definindo e estabelecendo os critérios, parâmetros e prioridades para a curadoria do programa artístico-expositivo, sendo de atribuição e responsabilidade da Direção do Museu, em amparo e respaldo do Comitê de Curadoria.

O programa artístico-expositivo é composto por:

> Exposições de realização própria pelo Museu, tendo como objeto as obras pertencentes ao seu acervo e de outros;

> Projetos externos que a instituição venha a receber e apresentar em seus espaços expositivos.

Desse modo, o MARGS concebe e produz suas próprias exposições, além de receber e apresentar exposições propostas por iniciativa de terceiros ou que integrem programas institucionais específicos (ver item 3.2 Categorias de exposições da Política de Exposições, clique aqui).

No MARGS, a curadoria é entendida como um processo de trabalho coletivo que compreende o ciclo completo de procedimentos técnicos, científicos e intelectuais relacionados à aquisição, interpretação, conservação e divulgação dos Acervos Artístico e Documental da instituição, bem como de concepção e desenvolvimentos de exposições. O processo curatorial integra as responsabilidades de pesquisa e divulgação do Museu e se materializa numa cadeia de trabalho colaborativa entre funcionários e colaboradores. O MARGS conta com equipe própria de especialistas nas áreas de documentação, catalogação, conservação, restauro e educação em arte, além de profissionais responsáveis pelas atividades-meio de produção de exposições e eventos como expografia, designer gráfico e divulgação.

Duas instâncias amparam a implementação, a condução e a qualificação das políticas institucionais de exibição e de acervo do MARGS. Integrados por especialistas com notável reconhecimento em suas áreas de atuação e competência, designados pela direção, o Comitê de Curadoria e o Comitê de Acervos têm como atribuição propor parâmetros qualitativos de avaliação e acompanhamento, como modo de colaborar para a busca da excelência nas ações e operação do museu. 

 

Eixos do programa artístico-expositivo

São cinco (05) os eixos da Política de Exposições do MARGS:

a) Projetos que confiram visibilidade e legibilidade aos Acervos Artístico e Documental do Museu;

b) Exposições individuais ou coletivas de artistas com produção consistente e sólida trajetória no campo das artes, entre históricos e atuantes;

c) Exposições individuais ou coletivas de artistas emergentes cuja produção tem se mostrado promissora no panorama artístico contemporâneo;

d) Projetos que contemplem o resgate e a memória de artistas, atuações, trajetórias, produções, linguagens e narrativas;

e) Projetos que destaquem pesquisas recentes em poéticas visuais que invistam na pesquisa e experimentação de linguagem, bem como na transdisciplinaridade dos meios, operações e procedimentos.

Atual programa expositivo

A gestão iniciada em 2019 adotou como prioridade o protagonismo de projetos expositivos com realização própria do Museu, os quais são desenvolvidos pela Direção e suas equipes, além de profissionais e instituições colaboradores. Nessa orientação assumida pela gestão, a curadoria do programa artístico-expositivo  prioriza projetos com curadoria do Museu e/ou convidados.

A direção artística desenvolve um programa expositivo com uma linha de ação institucional fundamentada e orientada por eixos definidos como prioritários. Assim, foram implementados quatro (04) programas expositivos, cada qual como uma finalidade e orientação específicas. São eles:

a) “Acervo em movimento”

Projeto de caráter permanente da atual gestão, que opera com um modelo de rotatividade de obras da coleção do MARGS, com substituições frequentes pelas equipes do Museu, que conjuntamente e em revezamento exercitam um mesmo método de organização de uma mostra permanente dedicada a exibir o acervo. O projeto integra uma política institucional de exibição dedicada a explorar estratégias de abordagem do acervo do museu por meio de exercícios curatoriais voltados à experimentação de modelos expositivos, valendo-se do modelo de curadoria compartilhada entre as equipes do museu.

b) “História do MARGS como História das Exposições”

Programa com o qual se trabalha a memória da instituição de uma maneira inovadora, abordando a história do museu, as obras e constituição de seu acervo e a trajetória e produção de artistas que nele expuseram, resultando em projetos curatoriais que revisitam, resgatam e reexaminam episódios, eventos e exposições emblemáticas do passado do MARGS, de modo a compreender sua inserção e recepção públicas.

c) “Histórias ausentes”

Programa voltado a projetos de resgate, memória e revisão histórica, com o qual se procura conferir visibilidade e legibilidade a manifestações e narrativas artísticas, destacando trajetórias, atuações e produções artísticas, em especial àquelas inviabilizadas no sistema da arte e/ou pelos discursos dominantes da historiografia oficial.

d) “Poéticas do agora”

Programa que destaca artistas com produção atual cujas pesquisas recentes em poéticas visuais têm se mostrado promissoras e relevantes no campo artístico contemporâneo, tendo por objetivo valorizar produções em poéticas visuais artísticas que investem na pesquisa e experimentação de linguagem, bem como na transdisciplinaridade dos meios, operações e procedimentos.

 

Leia mais sobre as Políticas Institucionais de Exposições e de Acervos | Comitê de Curadoria e Comitê de Acervo

Apoio e Realização