Obra histórica de Antônio Parreiras ganha exibição no MARGS

Pintura de grandes dimensões que retrata o general Bento Gonçalves
passou por um meticuloso processo de restauração pelas equipes do MARGS.

Exemplar significativo da representação da Revolução Farroupilha por grandes pintores,
obra está exposta no foyer do MARGS antes de retornar ao Museu Histórico Farroupilha de Piratini.

 

Entre 2011 e 2012, o Núcleo de Conservação e Restauro do MARGS recebeu oito obras do Museu Histórico Farroupilha, de Piratini, que se encontravam gravemente deterioradas em suas condições de conservação. Desde então, a equipe dedicou-se a um meticuloso trabalho, que resultou no restauro de seis dessas obras. Entre elas, inclui-se um óleo sobre tela de Antônio Parreiras, que é uma das obras mais importantes do conjunto, dado seu tremendo valor tanto histórico como artístico.

Nesta pintura histórica que chama atenção por suas grandes dimensões, medindo 2,70 x 1,49 metros, o artista Antônio Parreiras (1860-1937, Rio de Janeiro) retrata o general farroupilha Bento Gonçalves da Silva (1788-1847) a bordo de um navio, a caminho de sua prisão.

Esta obra de Antônio Parreiras, que muito recentemente acabou de ter seu processo de restauro finalizado, está no momento sendo exibida no foyer do MARGS antes de seu retorno definitivo a Piratini. E é graças à sua restauração que a obra agora volta a público.

Nas palavras do diretor-curador do MARGS, Francisco Dalcol, “A exemplo de grandes obras que buscam encenar, dramatizar e eternizar passagens históricas e emblemáticas do Brasil imperial do século 19, a pintura de Parreiras integra um conjunto altamente significativo quanto à representação da Revolução Farroupilha por grandes pintores. Esse conjunto a que me refiro é composto também pelas pinturas “Alegoria, sentido e espírito da Revolução Farroupilha” (1925), de autoria de Hélios Seelinger, e “Fuga de Anita Garibaldi a cavalo” (1917-1918), de Darkir Parreiras, filho de Antonio Parreiras, duas obras que igualmente fazem parte do acervo do Museu Histórico Farroupilha, de Piratini. São todas elas obras dotadas de tremendo valor tanto histórico quanto artístico, uma vez que pontuam o caráter épico e solene da representação da temática revolucionária farroupilha na iconografia artística”.

 

Dados da obra:

 

ANTÔNIO PARREIRAS

Niterói/RJ, 1860 – Niterói/RJ, 1937

Sem título (Bento Gonçalves), 1915

Óleo sobre tela 297 x 148,5 cm

Acervo do Museu Histórico Farroupilha, Piratini/RS

 

***

 

HISTÓRICO DO RESTAURO

Por Naida Corrêa, restauradora e conservadora do MARGS*

Parecer e laudo técnico:

Quando chegou de Piratini, a pintura se encontrava em péssimo estado de conservação. A pintura estava perdendo a leitura devido à acentuada oxidação da camada pictórica ou de verniz, esbranquiçado,               que estava crescente em decorrência da umidade do ambiente e das fezes e urina dos morcegos com muitos resíduos superficiais. Nas laterais, notavam-se muitos grampos devido a rasgos nas bordas numa tentativa de travar as deformidades decorrentes da soltura da tela. Notavam-se, ainda, muitas escoriações e perdas da camada pictórica. Na base se percebiam ondulações na tela devido à gravidade e mau estiramento do tecido. Na altura de 1/3 da obra, notava-se a marca da antiga trava do bastidor, provavelmente eliminado por ataque de cupins. As bordas da pintura estavam bastante prejudicadas com rasgos, perdas da pigmentação e escoriações.

Procedimentos de restauração:

Inicialmente a obra foi totalmente higienizada frente e verso. Foram identificados os materiais empregados na restauração anterior. A obra foi retirada do bastidor original e este recebeu tratamento preventivo. Foi feita a limpeza parcial química e mecânica para a remoção da restauração anterior. Foi feita a remoção da restauração do verso da obra. Uma nova tela em linho cru em um bastidor especial com extensor foi preparada para o reentelamento. O procedimento foi feito com reação do Primal e a frio. A restauração dessa obra foi interrompida por falta de recursos por quatro anos e foi concluída agora pelo laboratório de restauro do Margs com os seguintes procedimentos: nivelamento das áreas de perdas e próteses; reintegração cromática; aplicação protetora de verniz na camada pictórica e por fim a obra foi novamente estirada sobre o bastidor.

* Participaram da segunda fase de restauração da obra as estagiárias Clarissa Faccini de Lima, Caroline Peixoto Pires e Fernanda da Silva Rodrigues.

 

***

 

SOBRE O RESTAURO DAS OBRAS DO MUSEU HISTÓRICO FARROUPILHA

Com o intuito de prestar serviço de restauração ao Museu Histórico Farroupilha, e simultaneamente abastecer com materiais de trabalho o Núcleo de Conservação e Restauro do MARGS, a equipe do museu criou um projeto em parceria com a instituição de Piratini. Foi assim que, entre 2011 e 2012, o MARGS recebe oito obras de Piratini. Dentre elas, cinco já foram restauradas e retornaram ao Museu Histórico Farroupilha. A pintura de Antônio Parreiras, no momento em exibição no foyer do MARGS, será a próxima.

Já duas obras restantes logo deverão ser transportadas para Pelotas, onde passarão pelo processo de restauro na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). No último dia 13, foi assinado um acordo de cooperação técnica no estande da UFPel na Fenadoce, em Pelotas, pelo governador Eduardo Leite, pela secretária de Estado da Cultura, Beatriz Araujo, e pelo reitor da UFPel, Pedro Curi Hallal.

Com isso, a restauração das pinturas “Alegoria, sentido e espírito da Revolução Farroupilha” (1925), de autoria de Hélios Seelinger, e “Fuga de Anita Garibaldi a cavalo” (1917-1918), de Darkir Parreiras, que pertencem ao Museu Histórico Farroupilha, será conduzida por professores, técnicos e estudantes dos cursos de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis e Museologia da universidade, com a coordenação da professora Andréa Bachettini.

Segundo o governador Eduardo Leite: “Estamos reeditando uma parceria que deu certo na época de prefeito Pelotas, com objetivo de valorizar nossa cultura e garantir a conservação do acervo histórico. São obras e patrimônios que, muitas vezes, são deixados de lado pelos governos devido aos muitos problemas que encontramos. A nossa gestão não enxerga a cultura como algo secundário ou acessório, mas capaz de gerar emprego, trazer investimentos e promover desenvolvimento”.

O projeto prevê que, durante o processo de restauro – que inclui higienização, reforço de borda, enxertos, reentelamento, remoção de repinturas, reintegração cromática e aplicação de camada protetora -, as pinturas sejam instaladas em um local aberto que possibilite a visita do público. A expectativa é de que as obras voltem ao museu de Piratini na Semana Farroupilha do ano de 2020.

“Espero que esse seja só o início de uma longa parceria e que possa ser estendida a outras instituições museológicas do RS, oferecendo aos alunos a oportunidade de aprender e presenteando todos os gaúchos com os frutos desse trabalho”, destacou Beatriz, que durante o dia estreou o processo de interiorização da Secretaria de Cultura, realizando todas as atividades da pasta em Pelotas.

 

Serviço

Restauro da pintura de Bento Gonçalves, de Antônio Parreiras

Obra em exibição no Foyer do MARGS

Local: Foyer do MARGS (Praça da Alfândega, s.n.)

O MARGS funciona de terças a domingos, das 10h às 19h, com entrada franca.

Visitas mediadas podem ser agendadas no e-mail educativo@margs.rs.gov.br

 

Patrocínio

Banrisul

BRDE

Sulgás

 

Apoio

Café do MARGS

Arteplantas

Celulose Riograndense

Oliveira Construções

Tintas Killing

AAMARGS

 

Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Localização: Praça da Alfândega, s./n.

Centro Histórico, Porto Alegre, RS

Telefone: 32272311

Entrada Franca

Site: www.margs.rs.gov.br

www.facebook.com/margsmuseu

www.twitter.com/margsmuseu

Comentários

comentários

Apoio e Realização