Risco e Ar  ̶  uma exposição de Bianca Santini

eletronico2

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli convida para a mostra “Risco e Ar  ̶  uma exposição de Bianca Santini”, com curadoria de Gabriela Motta e abertura dia 5 dezembro (terça), às 19h, na galeria Oscar Boeira do MARGS. A mostra pode ser visitada de 6 de dezembro a 28 de janeiro de 2018, com entrada franca.

Para a exposição será criada uma instalação utilizando uma estrutura de ferro em forma de grade fixada no teto da galeria, composta de tiras de tecido, restos de roupas e acessórios recolhidos pela artista, compondo uma obra de grandes dimensões.

No dia 8 de dezembro, às 16h, Bianca Santini  recebe o público na galeria Oscar Boeira no projeto “Conversas com Artistas”, para um bate-papo informal sobre a exposição e seu processo de trabalho. O evento é organizado pelo Núcleo Educativo do MARGS e não há necessidade de inscrições antecipadas, sendo o n. de vagas disponíveis limitadas por ordem de chegada.

A mostra pode ser visitada de terças a domingos, das 10h às 19h, com entrada gratuita. Visitas mediadas podem ser agendadas pelo e-mail educativo@margs.rs.gov.br.

 

 

Risco e Ar

Risco e Ar reúne a produção recente da artista Bianca Santini. Estes trabalhos – uma série de desenhos desenvolvidos nos últimos meses, e uma instalação elaborada no decorrer de 2017 – apresentam-se como desdobramentos de uma pesquisa em processo.

O mundo natural, suas formas orgânicas e transitórias, a noção de paisagem e sua materialidade, são algumas das referências que vem alimentando a produção de Bianca nos últimos tempos. Tais problemáticas podem ser percebidas, sobretudo, em seus desenhos: traços e gestos sobre papel cuja vibração irregular remete às formas de plantas e de galhos secos. De fato, eles surgem de caminhadas e coletas de material realizadas pela artista e reorganizadas em seu ateliê.

Na construção dessa série de obras, Bianca se vale de uma variedade de materiais, tais como carvão, grafite, areia, pastel seco e oleoso, entre outros, em busca da potência ambígua que identifica nos seus referentes. A delicadeza e a violência, o caos e a ordem, a força e a fragilidade são alguns pares de conceitos que convivem no âmbito do mundo natural e que podem ser observados em seus desenhos.

Ao mesmo tempo, essa vontade de experimentação, que pode ser distinguida no processo de construção do trabalho, na variedade de materiais utilizados na sua produção gráfica, e no modo como Bianca enfrenta a folha de papel – grandes áreas de vazio convivem com densidades, espelhamentos, incisões violentas –, apontam para um percurso em desenvolvimento.

Ou seja, num primeiro momento as caminhadas e coletas de material orgânico geram fundamentalmente obras bidimensionais, trabalhos para serem vistos com os olhos. Em seguida, esta característica do seu processo de pesquisa indica uma transição de uma poética calcada na visualidade, para uma prática que cada vez mais deseja enfrentar o espaço.

É assim que, na instalação presente na exposição vemos a artista, em certa medida, abrir mão da relação com a natureza e da sua competência em manusear materiais tradicionais, para nos anunciar outras inquietações. Há nesta proposição uma vontade de investigar, do ponto de vista material e conceitual, o universo do consumo e da moda.

O trabalho consiste em uma estrutura de ferro em forma de grade fixada no teto do espaço expositivo, da qual pendem inúmeras tiras de tecido, restos de roupas e acessórios recolhidos aleatoriamente, que alcançam a altura total da galeria. Na instalação, Bianca se dispõe a enfrentar o espaço não mais como vazio do desenho ou como palco de eventos naturais, mas como experiência corporal.

A trama e a multiplicidade de caminhos que se criam na configuração do trabalho, a origem dos retalhos de tecido, a possibilidade de atravessarmos esse complexo de “traços” espacializados, todas essas características contribuem para que se estabeleçam outras perspectivas tanto para a pesquisa da artista, quanto para o público. A experiência da obra, carregada de uma dimensão lúdica, autoriza também uma reflexão sobre nossas escolhas e posturas na sociedade em que vivemos.

Nesse momento da produção de Bianca, de investigação sobre um novo campo de problemáticas, é instigante aproximar algumas características dos trabalhos. Do ponto de vista formal, cotejar as tramas de traços e de tecidos identificadas tanto nos desenhos quanto na instalação, nos sugere um repertório formal e de procedimentos plásticos que reafirmam a potência expressiva da produção artística. Já do ponto de vista dos seus referentes, a natureza que atravessa o urbano e o universo do consumo, somos movidos a refletir sobre o modo como nos relacionamos com tudo aquilo que nos cerca.

A arte, afinal, carrega em si um potencial de transformação, de si mesma e da sociedade na qual é gerada.

Gabriela Motta – Curadora

A artista

Bianca Santini é natural de Porto Alegre (1976).

Iniciou nas artes aos seis anos de idade no Centro de Desenvolvimento da Expressão – CDE e, em 1985, ingressou no atelier de pintura a óleo da artista Malu Soeiro.

Realizou diversos cursos e trabalhos sempre ao lado de artistas renomados como: Malu Soeiro, Maria Aparecida Peixoto, Paulo Porcela, Iara Burle, Dayse Viola, Ana Petini, Elizethe Borghetti, Clara Pechansky, Julio Ghiorzi, entre outros. Participou em 2016 de uma imersão de desenhos no Jabutipê, no qual originaram alguns trabalhos desta exposição. Atualmente estuda história da arte contemporânea com Maria Helena Bernardes, Bianca Santini produz diariamente trabalhos em desenho, aquarela e pintura acrílica em seu amplo ateliê em Porto Alegre.

 

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS: 2016 Além da Paisagem, curadoria Letícia Lau, Centro Cultural do IAB-RS, Porto Alegre, RS; Transposição da Paisagem, curadoria Letícia Lau, Centro Cultura Henrique Ordovás Jr, Caxias do Sul, RS; 2015 A Paisagem como Vestígio e suas Referências, curadoria Letícia Lau, Centro Histórico e Cultural Santa Casa, Porto Alegre, RS; Geografias da Paisagem, curadoria Ana Zavadil, Atelier Jabutipê, Jardim do Dmae, em Porto Alegre e Galeria Modernidade em Novo Hamburgo, RS; 2014 A Paisagem como Vestígio, curadoria de Ana Zavadil, Galeria Arte & Fato, Porto Alegre, RS. EXPOSIÇÕES COLETIVAS: 2017 Novas Paisagens, curadoria Ana Zavadil, Galeria Arte&Fato, Porto Alegre, RS; Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, Czech Centres Prage, Praga, República Tcheca; Alinhando, Desorientando, Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS; 2016 19º Edital de Incentivo à Produção Chico Lisboa, Museu de Arte do Rio Grande do Sul, RS; Paisagem (In)Certa, curadoria Ana Zavadil, Subte, Montevidéu, Uruguai; Salão Latino-americano de Artes Plásticas de Santa Maria, Museu de Arte, Santa Maria, RS; Horizontes da Paisagem, Centro Cultural Henrique Ordovás, Caxias do Sul, RS; Paisagem no Plural, Fundação BADESC, Florianópolis, SC; Transmigrações I e II, curadoria Ana Zavadil e Letícia Lau, MACRS, Porto Alegre, RS; 2015 Abordagens e Sentidos A Pintura como Possibilidade Poética, curadoria Ana Zavadil, Galeria Estúdio Dezenove, Rio de Janeiro, RJ; A Paisagem: Vestígios, Devaneios Outras Derivas, curadoria Ana Zavadil e Letícia Lau, MACRS, Porto Alegre, RS; 2014 20º Salão da Câmara Municipal de Porto Alegre, RS. Possui obra no acervo do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MACRS)

 

SERVIÇO

Exposição Risco e Ar  ̶  uma exposição de Bianca Santini

Curadoria: Gabriela Motta

Abertura: 05 de dezembro de 2017, às 19h

Visitação: De 06 de dezembro de 2017 a 28 de janeiro de 2018, de terças a domingos, das 10h às 19h.

Local: Galeria Oscar Boeira do MARGS

Entrada Franca

Conversas com Artistas com Bianca Santini

Data: 8 de dezembro de 2017, às 16h

Local: Galeria Oscar Boeira do MARGS

Nº de vagas limitado por ordem de chegada

Entrada Franca

 

 

Produção

Babilônica Cultural

 

Realização

Atelier Bianca Santini

Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer

Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli

Patrocínio

Banrisul

BRDE

 

Apoio

Café do MARGS

Arteplantas

Celulose Riograndense

AAMARGS

 

Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Localização: Praça da Alfândega, s./n.

Centro Histórico, Porto Alegre, RS

Telefone: 32272311

Entrada Franca

Site: www.margs.rs.gov.br

www.facebook.com/margsmuseu

www.twitter.com/margsmuseu

FacebookTwitterGoogle+PinterestWhatsApp

Comentários

comentários