MARGS discute os diferentes modos de ver a infância a partir da arte

convite digital - Infâncias

 

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli, a partir do seu Núcleo Educativo, oferece ao público uma nova exposição cujo tema principal é a infância, problematizando a visão da infância representada na arte em seus diferentes sentidos e interpretações. A mostra “Infâncias: diferentes modos de ver e sentir” inaugura dia 18 de abril, às 19h, com entrada franca.
 
O conjunto de obras pertencente ao acervo do MARGS foi cuidadosamente escolhido pelo Núcleo Educativo, que as distribuiu no espaço expositivo na altura dos olhos de uma criança, tornando a experiência com o objeto artístico mais pessoal envolvente. A mostra reúne 25 obras de artistas nacionais e estrangeiros produzidas nos séculos XIX e XX, pertencentes ao acervo do MARGS.
 
A exposição “Infâncias: diferentes modos de ver e sentir” será apresentada nas galerias Galerias Pedro Weingartner e Angelo Guido do MARGS, de 18 de abril a 21 de maio, com entrada gratuita.
 
O MARGS funciona de terças a domingos, das 10h às 19h, sempre com entrada gratuita. Visitas mediadas podem ser agendadas com o Núcleo Educativo, através do e-mail educativo@margs.rs.gov.br.
 
 
 
Por que Infâncias?
 
Esta exposição, proposta pelo Núcleo Educativo do MARGS, enfoca obras do acervo do museu que têm como tema crianças e cenas infantis. Essas obras estão expostas para, além de sua óbvia vocação de fruição estética, confrontar e relativizar algumas das inúmeras visões do que seria infância, sem, no entanto, ter a pretensão de esgotá-las.
 
Sabemos que o conceito de infância é uma construção social recente, muitas vezes idealizado, como nas expressivas meninas de Alice Soares ou no belo poema “Meus oito anos”, de Casemiro de Abreu. Mas nem sempre essa categoria social, infância, foi reconhecida. Na sociedade medieval, sobretudo, a noção de infância não existia, o que não significa que não houvesse uma afeição pelas crianças. O que não havia era uma consciência da particularidade infantil, uma distinção entre a criança e o adulto. A criança que já podia andar nada mais era que um adulto em miniatura, enquanto a criança de colo era a possibilidade de um ser que poderia ou não “vingar”. Tanto que assim que deixavam os cueiros, as crianças eram vestidas com roupas semelhantes às dos adultos e participavam das tarefas destes. Na arte, até o século XII, a infância não era representada. Quando encontramos imagens de crianças, só conseguimos assim identificá-las pela proporção de tamanho com que são representadas em relação aos adultos, uma vez que seus traços, suas expressões e até mesmo musculaturas são de pessoas adultas.
 
Somente nos séculos XVI, XVII e XVIII vamos ter a emergência de uma sensibilidade em relação à particularidade da infância, que vem acompanhada de um interesse psicológico e de uma preocupação moral, destacados por meio de um incipiente sistema de ensino, muito marcado pelo rigor, severidade, disciplina e racionalidade dos costumes. Porém, há uma limitação social e de gênero nessa nova noção, uma vez que fica restrita às camadas mais abastadas da sociedade e ao universo masculino.
 
De lá para cá, o conceito de infância vem sendo cada vez mais estendido e esquadrinhado, despertando muitos estudos, nos seus mais variados aspectos, apresentando significativas variações, distintos modos de ver e sentir, de acordo com o momento e ambiente. Infâncias, portanto, no plural.
 
Dessa forma, nos debruçamos sobre as crianças representadas no acervo do MARGS, e podemos verificar que nelas coexistem tempos e espaços muito diversos. E, embora a exposição se destine a públicos de todas as faixas etárias, este projeto se propõe a colocar a criança e suas representações frente a frente, como num espelho, mirando-se mutuamente e recriando infinitas manifestações deste encontro, que, esperamos, seja produtivo.
 
Núcleo Educativo do MARGS
 
 
 
Artistas
 
 
Aldo Locatelli
 
Alice Brueggemann
 
Alice Soares
 
Anico Herskovits
 
Bernard Bouts
 
Cândido Portinari
 
Carlos da Cunha
 
Carlos Fabrício Marques Soares
 
Caterina Baratelli
 
Charlotte Gross
 
Clara Pechansky
 
Elizabeth Turkieniez
 
Ernst Zeuner
 
Francisco Stockinger
 
Ado Malagoli
 
Henry-Jules-Jean Geoffroy
 
Joseph Claude Bail
 
Käthe Kollwitz
 
Lasar Segall
 
Maria Di Gesu
 
Salvador Benjuya (atribuido)
 
Stina Birgitta Beckman
 
Paulo Osir
 
 
 
Serviço:
 
Exposição “Infâncias: diferentes modos de ver e sentir”
 
Abertura: 18 de abril de 2017, às 19h
 
Visitação: de 19 de abril a 21 de maio de 2017
 
Local: Galerias Pedro Weingartner e Angelo Guido do MARGS
 
Entrada Franca
 
 
 
APOIO
 
Arte e Plantas
 
Celulose Riograndense
 
Café do MARGS
 
AAMARGS
 
 
 
PATROCÍNIO
 
Banrisul
 
BRDE
 
 
 
REALIZAÇÃO
 
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Secretaria de Estado da Cultura, Turismo e Lazer
 
Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli
 
Centro Histórico, Porto Alegre
 
Telefone: 32272311
 
Entrada Franca
 
Site: www.margs.rs.gov.br
 
www.facebook.com/margsmuseu
 
www.twitter.com/margsmuseu

 

FacebookTwitterGoogle+PinterestWhatsApp

Comentários

comentários