Exposição sobreHUMANO de BEATRIZ BALEN SUSIN

da serie Miserere 4

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul tem o prazer de convidar, dia 04 de março, sábado, às 11h, para a exposição “sobreHUMANO de BEATRIZ BALEN SUSIN”, com curadoria de Silvana Boone.

A exposição sobreHUMANO de BEATRIZ BALEN SUSIN (Caxias do Sul, RS, 1946) é originária de um processo de criação expressionista, tendo a figura humana como tema da sua obra figurativa, manifestada na qualidade técnica do desenho, da gravura e em especial, na pintura. Aos 70 anos de vida e comemorando 50 anos de carreira, a exposição sobreHUMANO apresenta ícones visuais de algumas séries que marcaram conceitualmente a vida e a trajetória da artista.

Dividida em três salas, a exposição divide-se também em três, a partir das linguagens da pintura, gravura e desenho:

Na Galeria João Fahrion, a série de 13 pinturas, denominada “A memória das águas”, de 2016, foi apresentada em novembro recente em Caxias do Sul, por conta da comemoração do seu 70o aniversário. Produzidas em tinta a óleo, em grandes dimensões, tratam da natureza humana e suas ligações metafóricas com a água.

Destacando a gravura, a Galeria Angelo Guido apresenta a série “Miserere – visões do inferno de Dante”, produzida pela artista entre 2006 e 2009, com especial destaque da curadoria para a qualidade técnica, sendo trazida na sua íntegra, totalizando 29 gravuras em metal.

E integrando a Sala Pedro Weingarther parte dos momentos significativos da trajetória de Bea Balen entre 1990 e 2010, resgatadas partes das séries “No princípio” e “Metamorfoses”, em desenho, e na pintura “Urbano”, Sobre-viventes”, “Cem anos de solidão”, “Dos encontros” e “Circun-danças”.

 

Conforme a curadora da exposição, Silvana Boone:

“Ao completar 70 anos de vida, a exposição sobreHUMANO vem fechar um ciclo (e abrir muitos outros), tal qual o ciclo das águas. Beatriz Balen Susin reinventa o que está no seu imaginário há décadas. A exposição é sobre o universo simbólico humano, sobre o que está dentro, fora e muito além dele, sobre conceitos aparentes e obscuros. Assim, o que cabe nas memórias de uma artista que não separa a arte da vida? Do ar ao fogo, da terra à água, como os quatro elementos, a arte é o combustível revigorante de Beatriz Balen Susin: é o quinto elemento vital da sua existência”.

 

No passeio por entre as três galerias, a exposição também apresenta quatro mesas-vitrines com documentos comprobatórios da trajetória da artista: revistas, livros e catálogos de exposições; capas e ilustrações de livros; convites de exposições e blocos de desenho e estudos gráficos da artista.

O MARGS funciona de terças a domingos, das 10h às 19h, sempre com entrada gratuita. Visitas mediadas podem ser agendadas com o Núcleo Educativo, através do e-mail educativo@margs.rs.gov.br.

 

Sobre a mostra

O primeiro contato visual com as obras anuncia: é sobre o humano. Originária de um processo de  caráter expressionista, a produção figurativa de Beatriz Balen Susin (Caxias do Sul, RS, 1946) manifesta-se na qualidade técnica do desenho, da gravura e em especial, na pintura. Aos 70 anos de vida e comemorando 50 anos de carreira, a exposição sobreHUMANO apresenta ícones visuais de algumas séries que marcaram conceitualmente a vida e a trajetória da artista.

 

Ao longo de 50 anos de trabalho, Bea Balen teve a figura humana como sua maior referência temática: homens e mulheres, por vezes assexuados, imperfeitos, urbanos, solitários, sobreviventes, desumanos ou demasiadamente humanos. No desenho, o princípio de tudo: da linguagem humana e do próprio processo criativo. A artista traz no gesto, a sua própria humanidade, o seu olhar movido pelo estudo da arte. Na gravura, um momento ímpar calcado no metal: a percepção poética do inferno de Dante (e de Beatriz), série apresentada na sua íntegra nesta exposição.

 

Artista do seu próprio tempo, nunca foi adepta a modismos, mantendo-se sempre fiel à crença de que a arte é singular. Na tradução visual da vida, houve espaço para encontros e romances, retratos e cirandas, histórias da literatura contadas pela pintura, e como uma simbiose entre o próprio corpo e a obra, a tinta é a matéria que a mantém viva. Sensível a tudo o que está no seu entorno, os cinco sentidos direcionam o processo de criação da artista, do cheiro (e do gosto) da tinta ao toque sensível das matrizes da gravura, a artista ouve a si e ao mundo e o torna visível: o mundo imaginado, ou a realidade simulada na tela, impulsionada pelo outro, escrito, retratado, o outro dela.

 

sobreHUMANO é uma exposição sobre o universo simbólico humano, sobre o que está dentro, fora e muito além dele, sobre conceitos aparentes e obscuros.

 

Assim, o que cabe nas memórias de uma artista que não separa a arte da vida? Do ar ao fogo, da terra à água, como os quatro elementos, a arte é o combustível revigorante de Beatriz Balen Susin: é o quinto elemento vital da sua existência.

 

Silvana Boone – Curadora

 

BIOGRAFIAS

Beatriz Balen Susin (Caxias do Sul, 1946) é artista visual com trajetória de produção em pintura, desenho e gravura. Tem no seu currículo mais de uma centena de exposições coletivas e 45 individuais realizadas no Rio Grande do Sul, e em mais de dez estados brasileiros e países como a Bélgica, Alemanha, França, Argentina, Inglaterra e Canadá.

Foi professora de pintura na Universidade de Caxias do Sul de 1980 a 2003. Em novembro de 2016 completou 70 anos de idade e 50 anos de carreira.

 

Silvana Boone (Caxias do Sul, 1967) é Doutora em Artes Visuais(PPGAVI-UFRGS), Mestre em Comunicação e Semiótica(PUCSP), Professora e pesquisadora na Universidade de Caxias do Sul desde 1995, orientadora de projetos, curadora e crítica de Arte.

 

Patrocínio

Banrisul

BRDE

 

Apoio

Café do MARGS

Arteplantas

Celulose Riograndense

AAMARGS

 

Realização

Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Governo do Estado do Rio Grande do Sul

 

Serviço:

Título: sobreHUMANO de BEATRIZ BALEN SUSIN

Curadoria: Silvana Boone

Local: Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre

Abertura: 04 de março de 2017, sábado, às 11h

Visitação de 04 de março a 09 de abril de 2017

Entrada Franca

 

Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Localização: Praça da Alfândega, s./n.

Centro Histórico, Porto Alegre

Telefone: 32272311

Entrada Franca

Site: www.margs.rs.gov.br

www.facebook.com/margsmuseu

www.twitter.com/margsmuseu

FacebookTwitterGoogle+PinterestWhatsApp

Comentários

comentários