Ao Quadrado

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli apresenta a exposição “Ao Quadrado”, da artista Beth Turkieniez. A mostra, com curadoria de José Francisco Alves, tem abertura dia 11 de dezembro na galeria Iberê Camargo, com entrada franca.

Beth Turkieniez já soma mais de 40 anos de dedicação diária ao seu trabalho em artes plásticas: experimentando, reciclando e mergulhando em processos ao encontro de novos conceitos e novos olhares.

A mostra Ao Quadrado compõe-se de 50 pinturas em formato quadrado, dispostas na sala de exposição em dois projetos que se fundem. São obras que apresentam técnicas e suportes diferentes, convidando o expectador, junto com a artista, a propor continuamente um novo significado aos trabalhos expostos. Beth também utiliza pigmentos indianos, com tintas que ela mesma produz. Os tons são trabalhados incansavelmente até se obter a intensidade e a opacidade que cada pintura requer, possibilitando uma série em conversa sem fim, entre as múltiplas composições possíveis, construindo e reconstruindo o grande quadrado.

 

Texto do curador

A porto-alegrense Beth Turkieniez, radicada em São Paulo desde 1989, volta à capital gaúcha para realizar, pela primeira vez, uma individual na principal instituição de arte do Rio Grande do Sul, o MARGS. Nesse ínterim, Beth desenvolveu uma extensa carreira em nível nacional e internacional, com prêmios e distinções. Ao todo, são mais de 40 anos de dedicação diária às artes plásticas, cuja marca pessoal é focada no interesse em experimentar, reciclar e mergulhar em processos distintos, rumo ao encontro de novos conceitos e novos olhares.

Antes de começar nova vida em São Paulo, a artista partiu daqui com uma sólida e invejável formação artística. Não somente com estudos acadêmicos em Artes Plásticas e Arquitetura na UFRGS, mas por meio contatos e orientações de nossos grandes mestres, incluso no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre. Em especial, Beth estudou desenho com Paulo Peres, xilogravura com Danúbio Gonçalves, pintura com Ado Malagoli e Iberê Camargo, e escultura com Sonia Ebling, Vasco Prado, Xico Stockinger e Carlos Tenius.

A presente exposição, “Ao Quadrado”, seu trabalho atual, compõe-se de pinturas em formato quadrado, dispostas na sala de exposição em dois projetos que se fundem. São obras que apresentam técnicas e suportes diferentes, convidando o expectador, junto com a artista, a propor continuamente um novo significado aos trabalhos expostos. Beth também utiliza pigmentos indianos, com tintas que ela mesma produz. Os tons são trabalhados incansavelmente até se obter a intensidade e a opacidade que cada pintura requer, possibilitando uma série em conversa sem fim, entre as múltiplas composições possíveis, construindo e reconstruindo o grande quadrado.

Um primeiro conjunto é formado com telas (na maioria em grandes dimensões) que apresentam medidas múltiplas entre si, estabelecendo o diálogo entre as cores, suas intensidades e superfícies, num contínuo deslocamento das peças enquanto formação e finalização. São montadas 24 pinturas em técnica mista sobre linho, sendo seis de 2 x 2m, duas de 2 x 1m, três de 1,20 x 1m, quatro de 1 x 1m e nove de 0,5 x 0,5m.

O segundo conjunto trata-se de um painel de vinte e cinco quadrados, em suporte de madeira de 0,4m x 0,4m, à semelhança de uma colcha de retalhos, pincelando séries e períodos diferentes, escolhidos aleatoriamente. Abordam fragmentos do cotidiano, indagações, sentimentos, angústias, questionamentos e momentos que habitam o interior de uma mulher, únicos e particulares, mas também universais e compartilhados.

 

José Francisco Alves

Curador

Depoimento da artista

É importante para mim voltar a expor em Porto Alegre: primeiro, por ter sido o lugar onde nasci, onde construí muito da minha vida profissional, onde estudei com Iberê Camargo, Paulo Porcela, Stockinger, Tenius, Ado Malagoli e muitos outros. Onde cresci e amadureci, onde me tornei mãe, mulher e artista.

Ao sair de Porto Alegre, enfrentei desafios: o começar de novo e de novo em uma cidade grande, onde a aspereza é a predominância, lidar com a solidão frequente, com o experimentar constante na arte e na utilização de novas técnicas, fazem realmente crescer…

Fiz varias mostras individuais e coletivas, tanto no exterior quanto no Brasil, participei de muitas feiras de arte, ganhei prêmios no exterior e no meu país, mas só agora tenho novamente a oportunidade de mostrar o meu trabalho atual em Porto Alegre.

Mais força, mais coragem, mais garra, mais referência, tudo se junta e reunidos em mim, obrigatoriamente, me transformaram numa artista muito mais madura.

Trago aqui o meu novo, e uma carga imensa de grandes EXPERIÊNCIAS, um recorte do que vivi, do que vi e do que fiz nesses anos todos de trabalho, que agora eu gostaria poder dividir com vocês.

 

BETH TURKIENIEZ

Porto Alegre, novembro de 2018

 

 

Ao longo da minha vida, dentro do meu ofício nas artes, Beth Turkieniez é a mais artista entre os artistas que conheci. É sim, na raiz da palavra, na maneira de trabalho, no fazer, e fazer sem medir consequências e medos. “Ao Quadrado”, que chamei de o quadrado desalinhado, não há preocupação com o rigor das linhas e composições. Estas, podem ser trocadas, deslocadas e desmembradas ao sabor do olhar da artista e do observador. Ao usar os pigmentos indianos, e fazendo sua própria tinta, Beth trabalha os tons incansavelmente até obter a intensidade e a opacidade que a obra requer, possibilitando a série seguir numa conversa sem fim entre as múltiplas composições possíveis, construindo e reconstruindo o grande quadrado.

O piso geométrico da instituição foi inserido na expografia, integrando e desvanecendo o rigor do res do chão, numa poética composição de cores. Assim, sabendo como lidar com sua própria arte, Beth nos apresenta uma exposição deliciosa de se ver e de se imaginar.

 

Fernando Ribeiro, São Paulo, 2018

Artista plástico S Paulo / Assistente do artista Nelson Lerner

 

Sobre a artista Beth Turkieniez

Nascida em Porto Alegre, vive e trabalha em São Paulo desde 1989.

No Atelier Livre de Porto Alegre estudou desenho com Paulo Peres, xilogravura com Danúbio Gonçalves, pintura com Ado Malagoli e Iberê Camargo, e escultura com Sonia Ebling, Vasco Prado, Xico Stockinger e Carlos Tenius.

Graduada em Artes Plásticas e Arquitetura pela UFRGS, onde desenvolveu pesquisas no campo da linguagem visual, bi e tridimensional.

 

Principais Exposições

Individual na Galeria Monica Filgueiras (São Paulo), 2017/2018

Ajoelhou tem que rezar (3 artistas). Galeria Monica Filgueiras (São Paulo) 2018

200 anos dos direitos Humanos – artigo 30. Pinacoteca de São Paulo, 2017

Resistir é preciso – Mostra itinerante. Centro Cultural do Banco do Brasil São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, 2017/ 2018

Individual Volantes. Galeria Ímpar (São Paulo), 2013

Andy Warhol, Beckerone & Beth Turkieniez, Copacabana Palace (Rio de Janeiro), 1979

Brazil as guest in the giant. Swarovski Museum, Áustria, 2011

No Voo das Borboletas, o Refúgio dos Vagalumes. Mostra itinerante Caixa Econômica Federal (São Paulo, Salvador e Brasília), 2008/2009

SP Arte, Pavilhão Bienal de São Paulo – Galeria Monica Filgueiras, 2008 a 2015

A grande viagem: Passaporte para o ano 2000. Mostra itinerante (São Paulo, EUA, Canadá), 2000/2003

Artistas Gaúchos, Museu de Arte Moderna de Kanazawa (Japão), 1973

Bailado do Estático L, Simultânea, Teatro São Pedro e Galeria Singular (Porto Alegre), 1972

50 Anos da Bomba Atômica, Brasil / Japão (São Paulo), 1992

Alma de Artista. Sesc Pompéia (São Paulo), 1995

Sala “O Garimpo”, Curadoria de Maria Alice Milliet, IX Salão de Artes e Antiguidades, 2002

5 Artistas / Alumínio – Itinerante Alcoa (São Paulo, EUA e Canadá), 1981

 

 

Acervos

Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS (Porto Alegre)

Museu Kanagawa (Japão)

Pinacoteca Aldo Locatelli (Porto Alegre)

Palácio Dos Bandeirantes, “Galeria Dos Direitos Humanos” (São Paulo)

Museu da Organização Pan-Americana de Saúde Pública (Washington)

Galeria Sincromoart (Paris)

 

Premiações

1989 – 1.º Prix Canson d’art sur papier – Prêmio de Viagem | França.

1972 – I Salão do Jovem Artista – RBS, Porto Alegre,1.º Prêmio Aquisição – Prêmio -I Mutepla – UFRGS – Prêmio Aquisição (Porto Alegre)

1971 – IV Salão do Jovem Artista – Prêmio Aquisição (Campinas)

1970 – Salão Nacional de Arte Universitária – Menção Honrosa (Belo Horizonte)

 

Viagens de Estudo

Estágio em Spolleto (Itália)

1988 – Estágio em Carrara (Itália)

1989/1994- Viagem de estudos (França)

1978 – Viagem de estudos / estágio em Tel Aviv (Israel)

2000/2008 – Viagem de estudos pelas regiões do Brasil para o projeto O Brasil de todos nós

 

 

 

Referências

Dicionário de Arte Brasil x Portugal

Acervo artístico-cultural do Palácio do Governo do Estado de São Paulo, Livro II

Dicionário de Artes Plásticas do Rio Grande do Sul (Décio Preser & Renato Rosa)

Internacional Art Guide

Arte al Dia Internacional, 2002

Vogue Brasil – A vida e a obra, 2002

D&D Arte e Decoração, 1998

Viver Bem: Universo de Estímulos, 1997

 

Cenografia

Grupo Arautos, Teatro Imprensa

“Mandinga”, São Paulo

“Todo gato tem uma vida sexual melhor que a nossa” (dirigida por Bibi Ferreira)

“Terceiras intenções” (dirigida por Bibi Ferreira), São Paulo

 

Coleções particulares

Obras em coleções particulares em países como o Brasil, Israel, Suíça, França, Bélgica, EUA, Canadá e França

 

SERVIÇO

Título: Ao Quadrado

Artista: Beth Turkieniez

Curador: José Francisco Alves

Abertura: 11 de dezembro, às 19h

Visitação: 27 de janeiro de 2019

Local: Galeria Iberê Camargo do MARGS

Entrada Franca

 

 

Patrocínio

Banrisul

BRDE

Sulgás

 

Apoio

Viopex Encomendas expressas

Família Geisse – Vinhedos de Terroir

Café do MARGS

Arteplantas

Celulose Riograndense

Oliveira Construções

AAMARGS

 

Realização

Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Localização: Praça da Alfândega, s./n.

Centro Histórico, Porto Alegre, RS

Telefone: 32272311

Entrada Franca

Site: www.margs.rs.gov.br

www.facebook.com/margsmuseu

www.twitter.com/margsmuseu

Comentários

comentários