Programa público da exposição “Stockinger 100 anos” promove sessão de documentário sobre o artista

Mapa não está disponível

Data / Hora
Date(s) - 22/10/2019
16:00 - 18:00

Categorias


A Associação dos Amigos do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (AAMARGS) convida para a sessão comentada do filme “Xico Stockinger” (2012), do cineasta Frederico Mendina, no dia 22.10.2019 (terça), às 16h, no auditório do MARGS.

O evento, que integra o projeto “Conversas no museu”, faz parte do programa público da exposição “Stockinger 100 anos”, em exibição até 24.11.2019, nas Pinacotecas do museu. A sessão do filme será seguida de debate com o diretor Frederico Mendina, e mediação do diretor-curador do MARGS, Francisco Dalcol.

Organizada como celebração do centenário de nascimento de Francisco Stockinger (1919-2009), a exposição “Stockinger 100 Anos” traz a público mais de cem itens dos acervos documental e artístico do MARGS e de outras instituições parceiras e de colecionadores. Com curadoria de Francisco Dalcol, diretor-curador do MARGS, e da curadora-assistente Fernanda Medeiros, a mostra pode ser visitada até 24.11.2019, de terças a domingos, das 10h às 19h, com entrada franca.

 

Sobre a exposição “Stockinger 100 anos” (release e texto curatorial):

http://www.margs.rs.gov.br/midia/exposicao-que-celebra-centenario-de-stockinger-reune-mais-de-100-obras-nas-pinacotecas/

 

Documentário “Xico Stockinger”

Através de um olhar cuidadoso e delicado, o filme traz a fala do artista, sua obra, os lugares que fizeram parte de sua formação e seu ambiente de trabalho, além do depoimento de diversas pessoas de sua convivência ao longo de sua trajetória artística. O documentário cruza a carreira do artista com importantes fatos históricos apresentando, também, um pouco de sua vida como cidadão atuante na sua época.

Falecido em 2009, Xico produziu a maior parte de suas esculturas dentro de uma economia de cores e uma profusão de texturas. Muitas vezes utilizou técnicas para introduzir uma única cor em seus trabalhos. Essas características resultam em obras com certa austeridade, unindo força e técnica.

Stockinger foi um artista autodidata, teve sua formação toda baseada em estágios escolhidos dentro das suas necessidades e interesses, não tendo uma formação acadêmica tradicional. Assim, e tomando as palavras do crítico de arte Paulo Herkenhoff, a obra de Xico “está mais vinculada a um humanismo do que a uma ideologia”, mesmo porque o artista não se filiou a nenhuma corrente, grupo ou escola específicos, guardando sempre uma independência em sua prática da arte.

O artista migrou para o Brasil após a I Guerra Mundial. Seu sonho era se tornar piloto de avião, mas sua origem austríaca o proíbe de concluir o curso quando o Brasil ingressa na II Guerra Mundial. Inicia como aprendiz do artista Bruno Giorgi, quando abraça um novo sonho: a arte. A inabalável capacidade criativa de Xico ao longo da vida repercutiu entre seus contemporâneos e ainda ecoa na sociedade. O documentário “Xico Stockinger” mostra sua história, entremeada por eventos históricos, suas técnicas e suas obras. Um filme documentário sobre a importância da perseverança, sobre a necessidade de realização pessoal.

Primeira produção da Pironauta e estreia de Frederico Mendina na direção, o documentário foi lançando em 2013, tendo sido aprovado na ANCINE e patrocinado pelas empresas Petrobras e Banrisul e escolhido no Concurso “Rio Grande do Sul – Pólo Audiovisual” de Apoio a Projetos de Finalização de Obra Cinematográfica Brasileira de longa-metragem.

 

Sobre o diretor

Frederico Mendina nasceu em Porto Alegre, em 1973. É diretor de cinema autodidata desde 2007. É sócio da Pironauta, produtora focada em projetos audiovisuais de longa-metragem. “Xico Stockinger” é seu filme de estreia.

 

Sobre a produtora

A Pironauta foi criada para atuar em produção audiovisual, com a missão de adequar as diferentes tecnologias e formatos às necessidades do mundo contemporâneo, ágil e multifacetado. A estratégia de atuação é a formação de parcerias com produtoras e profissionais da área, resultando em projetos como: “Depois de Ser Cinza” (ficção, digital, longa metragem); e “Xico Stockinger” (documentário, digital, longa metragem –patrocinado pela Petrobras, Banrisul e escolhido no Concurso “Rio Grande do Sul – Pólo Audiovisual” de Apoio a Projetos de Finalização de Obra Cinematográfica Brasileira de Longa-Metragem).

 

Ficha Técnica

Entrevistados – Xico Stockinger, José Francisco Alves, Paulo Herkenhoff

Direção e Roteiro – Frederico Mendina

Assistentes de Direção – Betina Monteiro, Laura Salimen, Cacá Nazario

Produção – Frederico Mendina

Produção executiva – Clarissa Brites, Luciano Koch e Frederico Mendina

Direção de Produção – Luciano Koch e Frederico Mendina

Coordenação de Produção/RJ – Lucas Feitosa

Assistente de Produção – Cassiano Mendina, Alini Hammerschmitt

Direção de Fotografia – Eduardo N. Rosa

Operador de Câmera – Leonardo Maestrelli, Rodrigo Castro, Guilherme Carlin

Assistente de Câmera – Betina Monteiro

Eletricista e Maquinista – Fábio Catalane

Fotografia Still – Jean Schwarz

Produção Animação – Osso Filmes

Arte, Cenários e Direção das Animações – James Zórtea e Rodrigo John

Animação – James Zórtea, Rodrigo John, Adriana Hiller, Marina Kerber e Shir Anabor

Montagem e Finalização – Filipe Barros

Motion Graphics – Pedro Marques

Som Direto – Anderson “Chachá “Amaral Gorga, Benhur Machado, Bruno Carboni, Philippe Branco, Ernesto Candau e Rodrigo Gandolfi

Estúdio de Som, Edição, Mixagem e efeitos sonoros –  Fly Audio

Diretor Geral – Rafael Rhoden

Gravação e Mixagem  –  Rodrigo Rheinheimer

Foley – Julio Netto, Rodrigo Rheinheimer e DJ Piá

Desenho de Som – Julio Netto

Trilha Sonora Original – New

Músicos:

Violão – Diego Costa

Percussão – Giovanni Berti

Baixo e Guitarra – Rodrigo Rheinheimer

Flauta –  Amauri Iablonovski

Pianos e Programação – New

 

 

SERVIÇO

“Conversas no Museu”, com a exibição do documentário “Xico Stockinger” (2012), de Frederico Mendina

Debate com a presença do diretor do documentário, Frederico Mendina

Data: 22 de outubro de 2019

Horário: 16h

Local: Auditório do MARGS

Entrada franca

* Lugares ocupados por ordem de chegada, com capacidade para 60 pessoas.

 

Museu de Arte do Rio Grande do Sul

Patrocínio

Banrisul

BRDE

Sulgás

 

Apoio

Café do MARGS

Banca do livro

Bistrô do MARGS

Arteplantas

Celulose Riograndense

Oliveira Construções

 

Realização

AAMARGS

Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Secretaria de Cultura do RS

Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli

Localização: Praça da Alfândega, s./n.

Centro Histórico, Porto Alegre, RS

Telefone: 51 32272311

Site: www.margs.rs.gov.br

www.facebook.com/margsmuseu

www.twitter.com/margsmuseu

Apoio e Realização